Cirurgia de Face (Ritidoplastia)

Também conhecida como cirurgia do rejuvenescimento facial. O envelhecimento facial e do pescoço é um somatório de alterações físicas e estruturais pelas quais nosso corpo é submetido. A perda da elasticidade da pele promove seu adelgaçamento, bem como seu excesso aliado ao efeito da gravidade que puxa este excedente para baixo. Com isto temos a formação dos chamados sulcos na face. Além dos efeitos tróficos na pele e do efeito da gravidade, temos a ação contínua dos músculos da mímica facial que com o passar dos anos propiciam a formação de rugas, principalmente ao redor dos olhos, na testa e em outras áreas.

A ritidoplastia tem por objetivo reposicionar este volume deslocado, bem como, remover o excedente de pele, fatores estes que contribuem para as alterações inerentes ao processo de envelhecimento. É importante corrigir tais modificações sem, no entanto, alterar os traços básicos que identificam cada pessoa em especial. Faz-se necessário informar que tal procedimento não interfere na qualidade da pele. Desta forma, a ritidoplastia é uma forma de abordagem de volume e posição. O trofismo, ou seja, a estrutura da pele deve ser abordada de outras formas, ditas auxiliares, no processo de rejuvenescimento facial.

Tal procedimento está indicado para pacientes que gozem de boa condição de saúde (caracterizada pela ausência de doenças e ou com doenças associadas mas que se apresentem de forma compensada. A investigação dessa exigência é feita mediante exames de laboratório e de imagens, bem como eventuais auxílios de outros colegas médicos especializados nas áreas em questão. É importante que os pacientes tabagistas parem de fumar por pelo menos 14 dias antes do procedimento. Os tipos de anestesia usados podem ser local com sedação ou anestesia geral. O período de internação costuma ser de 1 dia.

No pós-operatório os pacientes são mantidos com dreno e curativo compressivo por 24 horas. Na alta hospitalar os pacientes costumam ser liberados com orientações por escrito dos cuidados relativos ao procedimento, além de pequenos curativos restritos ao local das incisões. É relativamente comum a ocorrência de inchaço e roxidão que pode persistir por até um mês. Cuidados como a não exposição solar da área abordada são importantes para evitar que as cicatrizes fiquem ?escuras?, hiperpigmentadas. Orienta-se o uso de protetor solar FPS 30 ou mais por 6 meses, além de medidas como o emprego de chapéus e ou bonés por pelo menos um mês.

Todo o procedimento cirúrgico é passível de complicações. Na ritidoplastia podemos observar hematoma, abertura de pontos, sofrimento da pele, infecção, lesão de nervos, assim como todas as situações inerentes ao procedimento anestésico. Tais situações são incomuns mas passíveis de prevenção mediante boa técnica cirúrgica, boas condições de saúde e principalmente nos cuidados pós-operatórios.

O resultado de tal cirurgia passa a ser percebido por volta de 6 meses quando costumamos ter a absorção completa do edema, clareamento e acomodação das cicatrizes.

assista a um vídeo 3D do procedimento